DIVERSIDADE Maria de Fátima Pacheco Escritora e Professora

Ninguém é igual a ninguém. Somos diferentes em características, maneiras de ser e proceder, porém possuímos os mesmos direitos como crescer, se desenvolver cultural e socialmente dentro de um universo que proporciona a todos os seres humanos direitos e deveres, que deverão ser cumpridos conforme estabelece a Constituição Federal.
O primeiro meio social se dá na família, é nela que tomamos conhecimento dos nossos deveres e direitos como: o respeito aos pais e aos irmãos e, a outros membros que a compõem.
Todo ser humano possui deveres a cumprir, quando nascemos adquirimos os primeiros deveres que são essenciais para a sobrevivência, que são os movimentos e ações e, os de aprendizagem, como andar, se alimentar, brincar, se higienizar, e assim sucessivamente até que se alcance o nível de discernimento do que é certo ou errado, que começa quando a criança aprende a vestir-se, calçar-se, e os pais ou outro responsável diz: tá errado, vou te ajudar, é assim que se processa toda a aprendizagem de desenvolvimento humano, de formação como indivíduo, é a partir dessa troca de ensinar e aprender que o ser passa a adquirir conhecimentos para convivência com outros seres. Quando se encontram prontos, tornam-se seres sociáveis, ou seja, cidadãos com direitos iguais a todos, isto é, direito a educação, a alimentação, a lazer, a ir e vir dentro de seu território, a trabalhar e a manter-se e suster a família, e a conviver em sociedade. Para se ter acesso aos direitos se faz necessário que se cumpra os deveres, todos devem estudar e progredir nos estudos, sentarem-se à mesa ou num lugar que proporcione o direito de se alimentar adequadamente, direito ao lazer, ao trabalho, e do dever emana responsabilidade e respeito ao direito do outro, o de ir e vir dentro de seu território, quando menor acompanhado de um responsável, esses são os primeiros deveres básicos, até que se alcance(m) uma idade propícia a outros deveres como zelar e higienizar o espaço em que vive, responsabilidade para com as tarefas do Colégio, de casa, além de conviver em família e em sociedadede de maneira harmoniosa, de forma a permitir que o outro tenha o mesmo direito de se expressar, brincar, estudar e viver.
Quando se fala em sociedade, fala-se em povo, e este se subdivide em várias camadas, como:
1. A sociedade familiar que é formada por pai, mãe e filho(s) ou outra modalidade de responsáveis pela(s) criança(s);
2. a sociedade estudantil, que é composta pelos alunos, professores e demais funcionários da área educacional;
3. A sociedade trabalhadora que trabalha para se manter e suster a família, essa classe trabalhadora exerce grande importância dentro da sociedade, porque dela advém o desenvolvimento social, cultural e financeiro do país;
4. a sociedade política que administra, organiza, governa, executa e faz executar as Leis deste país. E tem o dever de mater a Ordem e a Paz em todo o território;
5. a sociedade da saúde é responsável pela prevenção da doença e pela manutenção da saúde de todos os cidadãos.
Essas são as sociedades básicas e principais, delas emanam deveres e direitos diferentes, como por exemplo a sociedade escolar trata da educação e instrução; a sociedade da saúde trata da saúde do povo em geral, etc. A diversidade está nas diferenças sociais, cada ser tem um papel a desenvolver dentro da sociedade e se bem desempenhado, os direitos serão a ascensão social, pessoal e profissional.
Quando se fala em direitos deve-se ter em mente o retorno do que se pratica, como por exemplo:
Uma criança que cursa o Ensino Fundamental, espera que seu professor e demais funcionários o trate com respeito, assim como ele deve tratá-los com respeito.
Um funcionário de uma empresa espera que seja tratado com dignidade e respeito, assim ele também deve tratá-los com dignidade e respeito.
A diferença entre alunos, é o grau em que estão cursando, um aluno da oitava série não pode querer ser tratado como uma criança da primeira série. Há uma diferença entre primeira série e oitava série, na primeira os alunos estão iniciando o aprendizado e na oitava estão assimilando conteúdo a serem desenvolvidos em níveis mais avançados.
Essa diferença também cabe a classe trabalhadora onde cada um, tem um papel a desenvolver, de acordo com a função, profissão e nível.
Essas diferenças se faz presente também na desigualdade humana, onde nem todos possuem um corpo perfeito, há aqueles que possui só, uma perna, um olho, surdo, mudo, doentes enfim são seres que nasceram ou ficaram doentes.
Há as diferenças adquiridas através de raças advindas de nacionalidades e descendências diferentes e, seitas religiosas, doutrinas, filosofias ou ideologias impostas ao ser humano, que não condiz com as Leis do país. Mas as Leis não faz distinção entre raça, seita ou outra ideologia qualquer. A Lei estabelece que “Todos são iguais perante a Lei…”. Como assim? Todos são iguais, isto é, “TODOS SÃO SERES HUMANOS RACIONAIS” porque pensam, e possuem a capacidade de produção, e desenvolvimento, daí a Lei estabelecer que “Todos são iguais perante a Lei” e por isso, faculta o direito à saúde, à educação, à liberdade, à segurança e à vida” logo a vida é o bem maior, e deve ser preservada acima de tudo. Raça advém de nacionalidade e descendência, mas a Lei como bem maior do povo não os discrimina, porque a Lei não foi feita para uma minoria e sim para todos. A Lei estabelece que Todos são iguais (TODOS SÃO HUMANOS) perante a Lei. Logo todos possuem o livre arbítrio.
Há diferenças em todos os ramos da vida, mas nenhum desses fatores fará com que o ser humano deixe de esufruir dos seus direitos. Lembrando que direito emana de dever cumprido.
Ninguém em sã consciência exigirá direitos, quando os atos praticados foram ilícitos. Que direito um indivíduo ilícito terá? Nenhum, não, ele terá o direito de defesa e gozará de todos os direitos humanos que a Lei estabelece.
Veja bem, além de não cumprir com os deveres e ter praticados atos ilícitos que contradiz as Leis, ele ainda assim terá o direito à defesa e os direitos humanos que lhe couber, porque a Lei estabelece que “Todos são iguais perante a Lei, sem distinção…”.
Ninguém deixará de ter Direitos, eles são iguais para todos. Diferentes ou não, a Lei assegura os direitos que cabe a cada cidadão.

Publicado por MARIA DE FÁTIMA PACHECO

Professora e Escritora.

2 comentários em “DIVERSIDADE Maria de Fátima Pacheco Escritora e Professora

  1. Às diferenças existenciais sempre existiram, elas advêm de fatores como saúde, conhecimento, gostos, preferências, dinheiro, educação e posição social, educacional e econômica.
    As diferenças adquiridas como seitas religiosa, doutrinas, ideológicas e filosóficas, regionais, etc., advém de fatores impostos, os quais se alteram a medida que o conhecimento cultural e instrucional evolui.
    Mas as diferenças entre seres humanos seja ela biológica ou genética podem ou não mudar depende do avanço da Medicina, por exemplo uma pessoa que possui uma anomalia poderá ou não ser operada e voltar ter as funções biológicas restabelecida, por ser HUMANOS e RACIONAIS possuem direitos iguais, a Lei não discrimina ninguém.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: